O controle das atividades relacionadas aos recursos tecnológicos já é bem conhecido e sem duvida fundamental para garantir o foco nos objetivos da organização, porém existe um desafio em fazer com que não se torne um desmotivador profissional ao ponto de ser um agravante na busca por meios de driblar o controle.

Encontramos comumente nas empresas bloqueios para limitar o uso da tecnologia a favor dos objetivos, que restringem paginas de internet, emails indesejados, instalação de programas não autorizados, enfim, na maioria dos casos limitações para garantir a segurança e produtividade. Por outro lado o que não é restringido é monitorado onde praticamente tudo que envolve os recursos tecnológicos pode ser monitorado, permitindo que sejam tomadas reações mediante uma atitude indevida e observando o comportamento dos profissionais durante o período de trabalho. Esse controle em demasia pode acabar gerando desconforto chegando ao ponto de termos que avaliar quais os impactos que ocasionam tanto monitoramento e qual a influencia nos profissionais deste ambiente.

Atualmente a Internet oferece diversos recursos que se tornaram indispensáveis para garantir a competitividade no mercado de trabalho, outros recursos se tornaram ferramentas fundamentais para a comunicação com fornecedores e clientes, no uso pessoal as redes sociais e serviços de mensagem instantânea continuam gerando atração instantânea e fascínio entre os que têm acesso a rede. No momento do ingresso no mercado de trabalho em empresas que utilizam de tecnologia computacional na execução de tarefas, a disponibilidade de recursos, o acesso a internet, arquivos, enfim, tudo é restringido aos interesses da organização, assim, gerando um confronto direto com a rotina habitual executada no ambiente doméstico.

Sem dúvida o monitoramento e controle são fundamental, garantido a segurança, integridade, disponibilidade e confidencialidade das informações e recursos fazendo com que os objetivos sejam mantidos, neste caso, é de boa prática do contratante, por meio de políticas de segurança e monitoramento conscientizar os profissionais dos motivos que levam a exigir as medidas aplicadas de forma clara e transparente, aplicando, sempre que necessárias as devidas reações. A criação da cultura de conscientização pode ser aplicada diretamente nos recursos humanos, ciente de que não é uma coisa que se aprende em casa, deve ser instruída na empresa.

Na legislação Brasileira, já se encontram ementas que de forma clara, dizem que o uso dos recursos fornecidos ao empregado, para exercer as funções a ele concedidas, são de uso específico para tal, e que podem ser acompanhadas, cabendo assim ao empregado a responsabilidade por seus atos, da mesma forma, fica claro ao empregador e a todos, que a intimidade, vida privada, honra e imagem das pessoas são invioláveis assegurando o direito a indenização por danos materiais ou morais decorrentes da violação (Leitura do inciso X do art. 5º. da Constituição Federal e ementa). Cabendo ao empregador aplicar de forma prudente as devidas atitudes garantindo os princípios éticos e legais.

Fica claro que o monitoramento excessivo e autoritário, pode prejudicar bastante o desempenho de um funcionário ou de uma equipe, gerando um novo problema, casos extremamente simples como permitir o acesso em determinados horários ao site bancário evita que o funcionário se desloque até a agência podendo evitar o atraso e reduzir o stress causado no deslocamento outros casos como permitir que o estudante imprima o trabalho de aula, navegação moderada no horário de intervalo, proporciona o um maior conforto para quem passa o dia inteiro no ambiente, pois atualmente não é suficiente contratar um funcionário mas, fazer com que ele queira trabalhar em nossa empresa.

Um bom entendimento de todos os recursos para monitoramento não garante resultado satisfatório, em certos casos até prejudica, para não perder o foco é necessário que o ato de monitorar seja entendido com um auxilio para o bem do ambiente de trabalho, mas evitando que se torne um recurso odiado pelos funcionários, enfim acredito que segredo esta em aperfeiçoar o controle buscando fornecer conforto aos colaboradores.

Autor Joel Langer
Artigo do Seminário de Segurança em Desenvolvimento de Sistemas 2011-2
Revisão Thiarlei Macedo | Origem Micreiros.com