“Em 2008, internautas brasileiros enviaram 2,7 trilhões de spams. No primeiro bimestre deste ano, o país passou à primeira posição no ranking mundial, após ter sido responsável por 7,7 trilhões somente em 2011.”

Spam, mensagem eletrônica não-solicitada enviada em massa, é hoje uma realidade que representa quase 70% do total de e-mails enviados. O conteúdo varia desde a venda de produtos, correntes, boatos, propagandas, golpes financeiros, até a disseminação de softwares maliciosos.

O spam pode afetar os usuários do serviço de correio eletrônico de diversas formas como: não recebimento de e-mails, gasto desnecessário de tempo, aumento de custos, perda de produtividade, conteúdo impróprio ou ofensivo e Prejuízos financeiros causados por fraude.

Por isso, as listas de bloqueio são o mais antigo mecanismo de combate ao spam. Estas listas são bases de dados de endereços IP que tenham sido identificados como possível fonte de spam, segundo os critérios da entidade que mantém a lista. A seguir será mostrado algumas dicas de como gerenciar filtro.

•    As listas negras (blacklists) possuem: e-mails, domínios e/ou IPs daqueles que você considera spammers;
•    As listas brancas (whitelists) possuem: e-mails, domínios e/ou IPs de quem você deseja receber e-mails;
•     A quarentena é o local onde são armazenados os e-mails suspeitos de serem spams.

Os spammers utilizam diversas técnicas que procuram modificar o caminho da mensagem em algum ponto. Alguns dos mais importantes são: Spam Zombies, que são os computadores de usuários finais que foram comprometidos por códigos maliciosos em geral. Estes códigos maliciosos, uma vez instalados, permitem que spammers utilizem a máquina para o envio de spam, sem o conhecimento do usuário. Outra técnica é o vírus propagados por e-mail, que normalmente são recebidos como um arquivo anexado à uma mensagem de correio eletrônico. O conteúdo dessa mensagem procura induzir o usuário a clicar sobre o arquivo anexado, fazendo com que o vírus seja executado.

Quando este tipo de vírus entra em ação, ele infecta arquivos e programas e envia cópias de si mesmo para os contatos encontrados nas listas de endereços de e-mail armazenadas no computador do usuário.
Portanto, se previna na hora de escolher um filtro antispam adequado. Siga sempre as boas práticas antes de enviar um e-mail para não se tornar um spammers. Preserve sua privacidade, proteja-se e fique alerta.

Por Felipe Decarli Pontel,
Fonte Micreiros.com