Os bancos mantêm fortes sistemas de segurança em seus computadores e nos programas de acesso via internet, mas infelizmente não têm como garantir a segurança do computador que o cliente usa.

A maioria dos brasileiros simplesmente não suporta ir ao banco, ainda mais quando o motivo é o pagamento de alguma conta. Cada vez mais se usam os sistemas via internet para resolver as atividades diárias antes resolvidas somente nas agências. Esse acesso online vai desde uma pequena conferência de extrato até pagamentos e transferências.

Alguns bancos já estão utilizando sistemas biométricos para reforçar a segurança e a identidade dos usuários dos sistemas. Os sistemas de segurança variam de acordo com a instituição financeira, entre os mais conhecidos estão:

Leitora: é um hardware instalado no computador do usuário onde o cartão deve ser introduzido para ter o acesso ao banco. É solicitado a senha de números e letras.
Token: este sistema permite a geração de uma senha aleatória. Sendo assim toda vez que o usuário for fazer uma transação no sistema, será solicitada a senha gerada no token, garantindo a segurança das informações uma vez que o objeto deverá estar na posse do titular da conta.
Cartão de senhas: É um cartão que possui diversas senhas, as quais possuem um número correspondente. Quando o usuário for acessar um serviço do sistema, um número será sorteado e mostrado na tela, determinando qual senha deverá ser utilizada.
Chave de segurança: O usuário recebe uma senha, normalmente composta por letras. A cada operação que for realizada, esta senha será solicitada, e só após a confirmação desta é que as operações são concluídas.
Plugins: Precisam ser instalados nos navegadores a fim de acessar seus dados e realizar transações bancárias.

Para utilizar a internet com segurança:

• Ter programas antivírus instalado no computador utilizado.
• Periodicamente trocar a senha de acesso.
• Acesse sua conta apenas de computadores confiáveis.
• Cuidado ao fazer download de sites suspeitos.
• Utilizar sempre versões atualizadas dos programas de navegação.
• Certifique-se de que está no site desejado, conferindo sempre o grau de segurança do mesmo.
• Imprima sempre o comprovante gerado após as transações. Caso seja necessário reverter alguma situação ou comprovar uma transação feita.
• Os bancos não enviam a seus clientes e-mail solicitando informações, especialmente número de agência ou conta-corrente.

Medidas de Segurança por parte da Instituição:

Criptografia: A comunicação entre o computador do cliente e o do Banco se dá por criptografia dos dados que trafegam pelo sistema.
Fechamento automático de sessão: Se o usuário do Gerenciador Financeiro ficar mais de 15 minutos (em média) sem executar uma transação a conexão com o banco será fechada.
Limite para pagamento de títulos: Para pagamento de títulos cada cliente terá um limite máximo, evitando assim grandes rombos em caso de invasão.

É necessário conferir sempre se o site possui o Certificado de Segurança, pois ao clicar no ícone do cadeado da conexão segura é possível saber o nível de segurança do site que você está usando.

Mesmo com todas as medidas de segurança é necessário que o usuário acompanhe seu extrato periodicamente e fique atento a qualquer movimentação estranha, afinal precaução é o melhor remédio.

Autora Cristiane Flach
Artigo do Seminário de Segurança em Desenvolvimento de Sistemas 2011-2
Revisão Thiarlei Macedo | Fonte Micreiros.com