Integração Contínua

“Integração Contínua é uma pratica de desenvolvimento de software onde os membros de um time integram seu trabalho frequentemente, …” Martin Fowler.

A Integração Contínua surgiu como parte das práticas da metodologia ágil XP (Extreme Programming), tendo como foco o desenvolvimento de software em ciclos menores, proporcionando melhor resposta a alterações e inclusão de novos requisitos. Mas a prática da Integração Contínua não se limita apenas a equipes utilizando a metodologia XP ou metodologias ágeis, trata-se de um conjunto de boas práticas que também podem ser adotadas em metodologias de desenvolvimento convencionais.
Devido ao grande impacto que vem ocorrendo com as metodologias ágeis, tais como eXtreme Programming, Scrum, entre outras, a integração contínua vem ganhando mais espaço e se tornando cada vez mais importante quando se fala em desenvolvimento de software.
A maior causa desse ganho de espaço da integração contínua ocorre pelo simples fato de que usando ela você tem um feedback instantâneo.
A grosso modo, a integração contínua funciona da seguinte forma: cada mudança que é feita no sistema, é feito o build automaticamente, todos os testes são feitos de forma automática e todas as falhas são detectadas nesse momento. Se alguma falha for detectada, toda a equipe fica sabendo, seja por email ou outras formas de comunicação.
Identificando os erros logo no início, a equipe pode tomar alguma ação para corrigi-los e assim não causar mais nenhum incomodo e/ou evitar que esses erros passe por eventuais testes e vão para as versões que posteriormente iriam para os cliente.
Claro que esses testes poderiam ser rodados manualmente, mas para isso teriam que ser usadas algumas horas de um integrante do projeto que poderia estar desenvolvendo, apenas para fazer essas validações.
Existem algumas ferramentas que podem ser utilizadas para fazer uso da integração continua:
• CruiseControl.rb: desenvolvida pela ThoughtWorks
• Selenium: desenvolvida pela ThoughtWorks
• Jenkios
• Hudson

 

Willian Marcolin

Sem comentários

Deixe uma resposta