Diagramas Estruturais da UML: Diagrama de Implantação

O diagrama de implantação é o diagrama estrutural responsável por estabelecer a relação entre os recursos de infraestrutura e artefatos do sistema, em outras palavras, ele mapeia arquitetura do hardware às necessidades do software a ser implantado. Esse diagrama é basicamente implementado com “nós”, “associações entre nós”.

Os “nós” são formas ou containers de UML, usadas para representar um item de hardware, como um servidor físico, seja ele de armazenamento ou execução da aplicação ou de módulos isolados, ou ainda um “nó” pode significar o ambiente de execução do software ou parte dele. “Nós” também podem conter outros nós, de maneira que demostrem a real estrutura do sistema, por exemplo, um nó pode conter os arquivos necessários, encapsulados por um “nó” que representa o servidor de armazenamento, este por sua vez, também encapsulado por outro “nó” que representa o ambiente de execução e ainda se necessário, encapsulado em outro “nó’ com outros ambientes de execução.

As associações entre os “nós” representam as relações destes itens no mundo real, bem como a forma que interagem e trocam informações. São representados por retas complementadas por um rótulo que descreve da relação entre eles ou a maneira como integarem entre si, sendo esse rótulo um mecanismo da UML conhecido como esteriótipo.

“A UML tem muitos tipos diferentes de setas tracejadas que parecem idênticas. Felizmente, a UML permite que você marque um elemento de modelo para indicar exatamente que tipo de elemento ele é. UML chama esse rótulo de um estereótipo. Você mostra o estereótipo ao lado do elemento (precedendo o nome do elemento, se houver). UML tem vários estereótipos predefinidos ou você pode definir o seu próprio para indicar um tipo especial de elemento para seus próprios fins”. (Chonoles & Schardt, 2003)

O propósito deste modelo de diagrama é documentar os itens envolvidos a fim de tornar ágil o processo de implantação de software. A  Figura 1 apresenta um exemplo deste diagrama.

O diagrama de implantação é um forte aliado para descrição de sistemas complexos e distribuídos onde os hardwares envolvidos tem um papel crucial na execução da aplicação. Claro que todos os softwares são codependentes do hardware, porém em alguns casos o hardware se torna o recurso mais prioritário. Por exemplo, em um software na nuvem onde queremos fazer backups diários usando a infraestrutura da empresa Amazon, é extremamente importante que se determine e explicite todos os recursos a serem utilizados no diagrama, bem como o número de servidores a serem comunicados, interligados pelos estereótipos dos meios ou protocolos de comunicação, a segurança da aplicação, etc.

 

Pedro Oziel Escobar da Silva

Chonoles, M. J., & Schardt, J. A. (2003). UML 2 for Dummies. Hungry Minds.

Guedes, G. T. (2007). UML UMA ABORDAGEM PRÁTICA. Novatec.

Sem comentários

Deixe uma resposta