A revolução no mundo tecnológico que vai mudar todos os conceitos já abordados sobre computação, baseada na “Teoria das Cordas” (antiga “Teoria de Tudo” de Albert Einstein), que visa fazer a fusão entre todas as teorias da física e da mecânica, a fim de criar o melhor desempenho de todos no menor espaço possível.

De início, alguns irão perguntar o que é computação quântica? A resposta para esta dúvida, de modo simplificado, é a aplicação da “Teoria das Cordas” (vide acima) no computador.

O computador quântico (CQ), é capaz de realizar cálculos utilizando a técnica de sobreposição (EX: O ângulo Z do Plano Cartesiano, não chega a completar inteiramente a técnica de sobreposição), e esta sobreposição é o que faz os CQs serem absurdamente mais velozes do que os computadores aos quais estamos acostumados a ver.

A raiz do CQ, o processador, é composta de prótons, nêutrons, fótons, pósitrons, etc. E por ser composto por elementos de um átomo, sua capacidade de processamento chega próximo a velocidade da luz, fazendo com que todos os computadores existentes juntos ficassem longe do processamento de um CQ.

Para utilizar o conceito de sobreposição, é usado o qubit, o bit quântico, diferente de um bit comum, que armazena 0 ou 1 e pode assumir positivo e negativo, o qubit sobrepõe as informações, fazendo com que suas possibilidades sejam duplicadas, fazendo com que o armazenamento tome dimensões diferentes.

Um CQ apresenta grandes vantagens, a possibilidade de realizares dezenas de milhares de cálculos por segundo, buscar informações de um banco de dados absurdamente grande, o que demandaria uma grande quantidade de tempo por um PC comum, mas todas estas vantagens começam a questionar a segurança atual dos softwares, por melhor que seja a criptografia do sistema, o CQ demoraria alguns segundos para quebrá-la e desvendar o que o desenvolvedor sofreu para esconder, mas este problema tem solução ao aplicar a criptografia quântica, onde esta seria considerada a mais segura e inquebrável, terminando com o cyber terrorismo.

Mesmo com a perfeição de processamento e suas grandes vantagens, o CQ apresenta desvantagens, ainda em sua criação, este que composto nos átomos poderia perder facilmente suas informações devido a micro ruídos eletromagnéticos que alterariam o estado do qubit, outra desvantagem é seu super aquecimento, não seria apenas um aquário que seria usado para resfriar tal processamento.

Ainda há muito a ser desenvolvido no mundo quântico, atualmente apenas alguns dos elementos necessários para a criação de um CQ foram criados, e nossos atuais PCs ainda tem algum tempo para ficar no mercado até que a revolução comece. Alguns meios acadêmicos já possuem formas rudimentares de um CQ, mas ainda não se sabe se as empresas virão a possuir tais genuinidades da tecnologia.

Enfim, algum dia os CQs serão objetos tão comuns quanto nossos PCs e Notebooks? Ou apenas serão objetos de testes em academias para o uso da física e da mecânica quântica? Estaremos aguardando, enquanto as boas novas não chegam.

Por Arthur Bleil
Fonte Micreiros.com