Através de algoritmos é possível codificar e comprimir/compactar arquivos reduzindo seus tamanhos, sejam eles textos, planilhas, fotos, vídeos ou qualquer conteúdo multimídia. Podemos realizar a liberação de espaço nos discos das estações de trabalho e servidores, racionalizando o uso e otimizando o sistema como um todo utilizando compressão de arquivos.

Podemos citar como principais vantagens do uso de compressão de arquivos a redução do espaço em disco para armazenamento e aumento da velocidade para transferência dos arquivos nas redes locais e internet. No âmbito corporativo, a compressão de arquivos reduz significativamente a banda da rede.

Com o uso diário da internet para o trabalho, o envio de emails é utilizado de diversas formas. A dificuldade pode estar em enviar um anexo com o tamanho maior que o permitido. E mesmo estando no tamanho permitido, e o arquivo tiver um tamanho considerável, irá demorar em fazer o envio. Com a compressão o arquivo terá seu tamanho reduzido, dependendo do arquivo que será enviado a compressão poderá ser muito além o esperado. Assim o envio será feito de forma mais rápida e o link da internet não ficará sobrecarregado.

É possível adicionar também segurança, pois pode-se criptografar um arquivo ao compactá-lo para transferir na rede, assim na hora de descompactar, só será possível com a senha correta.

A compressão não é somente reduzir o tamanho de um arquivo e liberar a banda da rede. A redução do espaço físico é muito utilizada em bancos de dados que, incorporando a compressão no projeto de seus registros, permitindo assim um significativo ganho em termos de ocupação em disco e velocidade de acesso.

Um registro de log por exemplo pode ser um .txt que armazena informações de acesso a um sistema. Esse arquivo pode ter um tamanho considerável. Ao comprimir o mesmo, por ser apenas texto, resultará num arquivo de tamanho muito inferior ao inicial, podendo ser armazenado como backup.

Compressão com perdas e sem perdas

A compressão com perdas são geralmente utilizadas em arquivos multimídias, como áudio, vídeo e imagem. Onde existem perdas toleráveis na qualidade ou na resolução. Como os sentidos humanos não são extremamente aguçados, pequenas perdas ou ruídos em áudios e vídeos não são percebidos. Essas pequenas perdas são irreparáveis na descompressão, por isso é chamada de compressão com perda.

Compressão sem perda é reconstrução exatamente igual ao que havia antes da compressão. Esta técnica deve ser utilizada para programas e documentos, onde a perda da informação poderá deixar corrompido o arquivo, normalmente a taxa de compressão é inferior a da compressão com perda

Hoje a compressão de dados pode ser feita de vários modos, desde a utilização de programas já existentes como WinZip e Winrar ou a criação de um algoritmo de compressão próprio. Tudo vai depender de como e o que será comprimido. O certo é que devemos levar isso em conta, pra reduzir o uso de banda/link de comunicação e o espaço necessário para armazenamento de arquivos que em muitos casos nunca são utilizados.

Por Jorge Sikelero
Revisão Thiarlei Macedo | Fonte Micreiros.com